Globo demite repórter cinematográfico que assediou produtora no Japão

A Globo demitiu repórter cinematográfico acusado de assédio em Tóquio (foto: Reprodução/Globo)
A Globo demitiu repórter cinematográfico acusado de assédio em Tóquio (foto: Reprodução/Globo)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O repórter cinematográfico Mikael Fox foi demitido pela Globo após ser acusado de assédio por uma produtora da emissora. Ele fazia parte da equipe do Esporte que vai trabalhar na cobertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão. De acordo com informações da Veja Rio, o profissional foi enviado de volta para o Brasil e demitido assim que desembarcou em solo nacional no último sábado (17).

Segundo a publicação, Fox assediou uma produtora numa reunião informal realizada entre membros da equipe num dos quartos do hotel onde estão em isolamento. A informação do assédio chegou à direção da emissora, que confirmou a acusação com a vítima e imediatamente o enviou de volta ao Brasil, onde ele foi demitido.

“Por decisão da Globo, que não foi tomada por nenhum profissional do time que está em Tóquio, o repórter cinematográfico Mikael Fox não faz mais parte do time de Esporte da empresa. Sobre os questionamentos de compliance, a Globo não comenta assuntos de Ouvidoria, mas reafirma que todo relato de assédio, moral ou sexual, é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento. A Globo não tolera comportamentos abusivos em suas equipes”, afirmou a emissora em nota.

Na Globo desde 2006, Mikael Fox já trabalhou nos principais telejornais da emissora, como o Jornal Nacional, Fantástico, Profissão Repórter e Globo Repórter. Ele também já teve passagens por afiliadas da emissora do interior de São Paulo. “Recebi um convite para o seleto grupo de Esportes da TV Globo no Rio de Janeiro, exercendo a função de Produtor de Conteúdo, Diretor de Fotografia, Repórter Cinematográfico e também Produtor”, informa o profissional em seu perfil na rede social LinkedIn.

Leia mais