Adriana Araújo processa Record e diz que foi vítima de injustiça

Adriana Araújo alega que foi vítima de injustiça na Record (foto: Reprodução)
Adriana Araújo alega que foi vítima de injustiça na Record (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Dispensada pela Record em março deste ano, a jornalista Adriana Araújo decidiu entrar com um processo contra a emissora de Edir Macedo na Justiça do Trabalho. A ex-âncora do Jornal da Record pede o reconhecimento de vínculos trabalhistas e alega que foi vítima de injustiça e discriminação por parte da empresa de comunicação. Segundo informações do colunista Gabriel Vaquer, do Notícias da TV, o processo foi interpelado no fim de junho, três meses após ela ser demitida da rede.

O caso corre na 63ª Vara do Trabalho de São Paulo, e duas audiências já foram realizadas entre a jornalista e a emissora paulista. A ex-apresentadora não estipulou um valor-base no processo, e a quantia a ser recebida por Araújo vai depender dos pontos aprovados pelo juiz. Na ação, ela alega que não fez parte do processo em massa de assinatura de carteira de trabalho que a Record colocou em prática em 2016. No período em que foi contratada, Adriana teve vínculo apenas como PJ (pessoa jurídica).

Adriana Araújo afirma que foi discriminada nesta escolha porque acatou todos os pedidos da Record, mesmo sem concordar. Entre as determinações da TV, está sua saída do comando do Jornal da Record para assumir o Repórter Record Investigação após criticar a cobertura do jornalismo na falta de ação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na gestão da crise sanitária. O canal determinava que o tema deveria ser tratado de forma mais leve que nas outras redes. Nos bastidores, a jornalista teve uma crise de choro e as férias antecipadas.

A Record justificou alegando que Adriana Araújo sempre teve um alto salário e era uma das principais estrelas da casa. Ainda de acordo com o Notícias da TV, a Record convocou quatro ex-chefes da apresentadora para testemunhar a favor da empresa em uma audiência em 10 de agosto. Não há previsão de quando o caso será julgado pela Justiça do Trabalho.

Leia mais