Fenômeno inusitado, Topíssima foi mais assistida na reprise do que inédita

Camila Rodrigues é a protagonista de Topíssima (foto: Divulgação/Record)
Camila Rodrigues é a protagonista de Topíssima (foto: Divulgação/Record)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A televisão definitivamente é uma caixinha de surpresas. Colocada no ar para tapar o buraco deixado pelo atraso na entrega das mídias de Quando Chama o Coração, a reapresentação de Topíssima acabou se virando um dos maiores sucessos da Record em 2021. A novela, exibida originalmente entre maio e dezembro de 2019, chegará ao fim nesta terça-feira (24) com índices de audiência que chegaram a superar as marcas da transmissão inédita, um feito raro para os produtos nacionais de teledramaturgia. Na média geral, a trama terá uma leve queda, e fechará com pouco menos de 66 mil telespectadores na comparação com dois anos atrás.

A reportagem do TV Pop teve acesso a um levantamento que mostra que o folhetim de Cristiane Fridmann fechará a sua reapresentação com média de 7,5 pontos na Grande São Paulo, tendo sido acompanhada por cerca de um milhão e 540 mil pessoas na principal metrópole do país. Até agora, a maior audiência da trama foi obtida na noite de 4 de agosto: 11,1 pontos de média, com pico de 15,3. O índice, por sinal, supera todos os capítulos da primeira vez em que a história de Sophia Alencar e Antonio Ramos esteve em cartaz.

Em sua primeira exibição, o folhetim acumulou média de 8,0 pontos na região e teve a sintonia de pouco mais de um milhão e 606 mil telespectadores. Naquela ocasião, a maior audiência da novela foi de 10,8 em 9 de dezembro, data em que a Record transmitiu o último capítulo da trama. O horário de transmissão também era outro: enquanto toda a reapresentação foi exibida às 21h50, o ciclo inédito foi ao ar às 19h45, com exceção dos últimos seis capítulos, que foram transmitidos às 20h30.

A reapresentação de Topíssima encerrará o seu ciclo com mais audiência do que diversas novelas inéditas da Record nas últimas décadas. Considerando produções transmitidas a partir de 2010, o folhetim conseguiu superar Rebelde 2 (5,7), Máscaras (5,9), Balacobaco (6,7), Dona Xepa (7,0), Pecado Mortal (5,6), Vitória (5,9), Belaventura (5,8) e até a bíblica Jezabel (7,4). Além disso, a trama será responsável pela terceira maior audiência da agora extinta faixa de reprises noturnas, atrás apenas dos 8,2 de Os Dez Mandamentos e de 9,9 pontos de A Terra Prometida.

 

Leia mais