Ex-namorada de Huck, Eliana fala sobre a chegada do novo concorrente

Eliana falou sobre a chegada de Luciano Huck aos domingos (foto: SBT/Gabriel Cardoso)
Eliana falou sobre a chegada de Luciano Huck aos domingos (foto: SBT/Gabriel Cardoso)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Há 31 semanas consecutivas vencendo o Hora do Faro, da Record, Eliana falou sobre a chegada de Luciano Huck na disputa pela audiência dos domingos. Em entrevista ao jornalista Paulo Pacheco, do Observatório da TV, a única mulher do entretenimento nos finais de semana desejou sorte ao novo apresentador do Domingão, de quem já foi namorada por dois anos no final dos anos 1990.

“Muita coisa mudou entre 2005 e hoje [a disputa pela audiência], mas o que segue igual é o fato de que os domingos da televisão brasileira são sempre preenchidos por grandes comunicadores. Então sempre estive em boa companhia.”, disse Eliana, sobre a acirrada concorrência entre apresentadores aos domingos. “Desejo toda a sorte e o sucesso ao Luciano Huck, que já entrou para a história da televisão brasileira com o Caldeirão e que agora começa esse novo desafio”, disse a comunicadora.

Na conversa com a publicação, a apresentadora analisou as diferenças da Eliana de quando estreou como apresentadora, e a Eliana de hoje, principal mulher no comando de um programa no dia mais concorrido da TV brasileira. “A Eliana de 30 anos atrás tinha muitas dúvidas e receios: será que vai dar certo? Será que essa aposta vai valer a pena? Parte do processo foi exercitar a minha autoconfiança, entender que eu, de fato, era capaz de comandar um programa e que a aposta do Silvio ia vingar, sabe? Por outro lado, a Eliana de hoje é mais confiante, é uma comunicadora veterana e experiente. Mas o friozinho na barriga antes de gravar algo novo, que eu sentia lá trás, segue aqui comigo. E eu amo isso!”, afirmou.

Eliana ainda relembrou o que mais lhe impressionou na sua estreia no SBT como apresentadora do Festolândia, que entrou no ar pela primeira vez em 19 de agosto de 1991. “Eu me lembro de ficar impressionada com a estrutura do programa: os cenários, os personagens, os figurinos… É claro que nesse momento a ficha caiu, né? E eu percebi o tamanho da responsabilidade que eu tinha em mãos. Foi um desafio que aceitei de braços abertos”, conta.

Apesar do bom desempenho na audiência aos domingos, Eliana diz que a preocupação não é somente com os números do ibope, mas no conteúdo que entrega ao público. “É claro que queremos que o máximo possível de pessoas nos assista e se sinta parte dessa conversa. Mas, para isso, a nossa preocupação não está somente nos números do Ibope, mas também no conteúdo que compartilhamos com o público. Acho que é exatamente por isso que tem dado certo”, explica.

Leia mais