JOGOU NO VENTILADOR

Ex-Globo diz que emissora proíbe funcionários de apoiar Jair Bolsonaro

Fred Ring pediu demissão da Globo em 2020; apresentador diz que emissora proíbe funcionários de apoiar Jair Bolsonaro (foto: SporTV/Rodrigo Castro)
Fred Ring pediu demissão da Globo em 2020; apresentador diz que emissora proíbe funcionários de apoiar Jair Bolsonaro (foto: SporTV/Rodrigo Castro)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Ex-apresentador do Tá na Área do SporTV, Fred Ring revelou que a Globo proíbe seus funcionários de se manifestarem a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em comentário no perfil de uma rede social de fotos, o jornalista, que deixou o canal em 2020, afirmou que quem apoia o atual governo é “cancelado” nos bastidores da emissora. “Sim! São proibidos!”, escreveu Ring na publicação do perfil Fui Clear.

“Quando expõe, são criticados ou ‘cancelados’ das panelas. Eu, por exemplo, fui procurar outro emprego. Pra bom entendedor meia palavra basta”, escreveu o ex-apresentador do canal esportivo ao ser questionado sobre o assunto. Desde que pediu demissão da Globo, Fred Ring não tem poupado a emissora líder de audiência com declarações polêmicas.

O ex-contratado do canal carioca deu a entender diversas vezes que tinha problemas por não ter a mesma posição política dos colegas da rede. Em entrevista ao programa Pânico, da rádio Jovem Pan, ele afirmou que era perseguido uma comentarista. “Havia uma perseguição pessoal. Posso sentir isso de lá de dentro. Posso dizer que, muitas vezes, o canal me bancou e me defendeu. Mas havia uma perseguição de uma comentarista mulher, loira, que lacra pra caramba. Não vou falar o nome, mas ela aparece na Rede Globo, faz jogos e está colecionando inimigos, essa é a minha sensação, e eu fui um deles. Então, resolvi ir embora”, justificou sobre seu pedido de demissão.

Leia mais