SETEMBRO AMARELO

Marina Ruy Barbosa cobra mais empatia e pede fim do “ódio gratuito”

Marina Ruy Barbosa pediu para que as pessoas tenham mais empatia (foto: Divulgação)
Marina Ruy Barbosa pediu para que as pessoas tenham mais empatia (foto: Divulgação)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Marina Ruy Barbosa usou as redes sociais para desabafar sobre a falta de empatia das pessoas e o excesso de ódio das pessoas na internet. No mês do Setembro Amarelo, campanha feita para prevenir o suicídio, a atriz afirmou que existe uma falta consciência nesse período. “Eu fico assustada com a maldade das pessoas nas redes sociais. Quando foi que a rede social virou isso? Tanta gente destilando ódio gratuito? Tanta gente pensando que sabe algo da vida dos outros sem saber de absolutamente NADA real”, declarou a empresária.

A modelo disse que tem medo de ver o que o ser humano está se tornando. “Me dá medo ver o que o ser humano está se tornando. A gente falava tanto de uma consciência maior quando a pandemia começou, mas a falsa consciência só serve para fazer post no Setembro Amarelo. Mas no dia a dia? Zero empatia”, pontuou.

“Tudo bem que a pandemia foi difícil pra todo mundo e pra algumas pessoas incontestavelmente muito mais difícil. Mas você querer atingir outra pessoa, magoar, ofender, destilar e desejar coisas ruins, não vai fazer a sua vida melhorar. Deixa cada um viver sua vida”, afirmou Marina Ruy Barbosa.

Recentemente, a atriz respondeu dúvidas dos seguidores sobre a sua marca de roupas, a Ginger. A empresária explicou os motivos pela sua loja ter produtos “mais caros” e menos acessíveis. “Valores super baixos dos aplicados no mercado podem identificar uma série de problemas. Desde a baixa qualidade do material usado nas peças, até condições de trabalho inapropriadas para costureiras. Isso mesmo, a ‘blusinha baratinha’ pode ser o disfarce para questões mais profundas dentro da sociedade”, afirmou.

Leia mais