Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.
ALVO NO PAÍS

Sem compartilhamento de senhas, Netflix é processada por quase mil clientes brasileiros

Foto de Vladimir Brichta e Juliana Paes em Pedaço de Mim
Vladimir Brichta e Juliana Paes protagonizam o melodrama Pedaço de Mim (Foto: Divulgação/Netflix)

Em alta desde o lançamento de sua primeira novela brasileira chamada Pedaço de Mim, a Netflix atualmente é processada por quase mil clientes. Insatisfeitos com a proibição no compartilhamento de senhas, os usuários da plataforma decidiram entrar na Justiça contra a empresa a fim de poderem utilizar suas contas em outros dispositivos, ou até mesmo compartilhar seus serviços com outras pessoas.

De acordo com o portal F5, da Folha de S.Paulo, são cerca de 943 clientes que decidiram mover ações judiciais contra a líder dos streamings. Os processos correm em seis estados, sendo 250 casos apenas em São Paulo. Há ações também no Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia e Pernambuco. A primeira ação foi registrada no fim de maio, e a mais recente, no fim de junho. Até o momento, não houve nenhum julgamento relacionado ao caso.

+ Bombou na semana: Chega Mais muda tudo, Fátima na noite da Globo e Dieckmann em Vale Tudo
+ Depois de derrota da Seleção Brasileira, Galvão Bueno detona equipe: “É muito ruim”

As ações contra a Netflix alegam que a empresa não tem como prever que a senha não é dividida por familiares. Um desses exemplos corre no TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), em que um homem de São Paulo afirma que a filha não consegue acessar sua conta pela TV que fica dentro de seu quarto. Ele pede uma indenização de R$ 5 mil e exige que a plataforma aprove a divisão de senhas em sua conta.

Prejuízos à Netflix

O fim do compartilhamento de senhas também trouxe alguns prejuízos à Netflix, que teve um aumento de 78% no cancelamento de assinaturas, de acordo com a Tunad. Esses dados não mostram os números referentes ao Brasil, mas o mercado estima que o país já tenha chegado a 20 milhões de clientes. Outro dado sobre a empresa afirma que o Procon já acionou a plataforma em pleno menos cinco estados.

Leia mais