DAR UMA NAMORADA

Nova música de Israel e Rodolffo é acusada de apologia ao estupro

Imagem da dupla sertaneja Israel e Rodolffo
Dar Uma Namorada, de Israel e Rodolffo, virou motivo de polêmico (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Israel e Rodolffo lançaram a música Dar Uma Namorada e a letra vem causando polêmica desde que a psicanalista Manuela Xavier publicou um vídeo que repudia um trecho da canção. “A música conta a história de um desenrole entre um casal e ele fala assim ‘me atiçou, vai ter que dar uma namorada’. Essa música, escrita hoje em 2021, com a mentalidade de 1920, diz que se a mulher for estuprada a culpa é dela, porque ela atiçou, ela provocou”, disse.

A doutora em psicologia comparou com outras situações. “Qualquer semelhança com ‘qual era a roupa que ela usava’, ‘mas ela estava pedindo’, ‘mas ela estava fazendo doce’, qualquer semelhança com isso não é mera coincidência. A música lançada pela dupla Israel e Rodolffo é uma apologia clara ao estupro. Portanto, eu faço esse vídeo hoje para dizer que a realidade do estupro no Brasil não é isso que acontece em uma rua escura com um homem mascarado munido de uma arma, não é”, declarou.

“O estupro no Brasil, em 80% dos casos, a vítima conhece o seu agressor e isso é muito sério, isso mostra que o perigo está dentro das nossas casas, isso mostra que os homens não nos respeitam. Então eu faço esse vídeo para você, mulher, que talvez já tenha vivido uma violência sexual e que acha que a culpa é sua e que acha que você sofreu essa violência porque não soube dizer não ou porque a roupa estava muito curta, saiba que em uma relação de duas pessoas ‘não é não’”, completou Manuela Xavier.

Rodolffo Matthaus respondeu a publicação nas redes sociais. “Primeiramente eu acho que você está exagerando nas observações, pois a gente faz música para homens e para mulheres. Uma mulher pode cantar para um homem essa letra, ela é unissex. É uma música alegre, descontraída e para as pessoas se divertirem cantando. Sou totalmente a favor da causa, estou com você. Agora vir criticar o meu trabalho induzindo as pessoas a pensarem que é uma música machista, não. Foi feita para a mulher cantar também”, escreveu o sertanejo.

A autora do vídeo respondeu o cantor. “Rodolffo, você se equivoca duplamente. Eu sou uma mulher. Eu sei o que é cultura do estupro. Não será você, um homem, a me dizer o que é ou não machista, até porque isso seria muito machista, concorda? Converse com mulheres. Converse com coletivos feministas. Nesse vídeo eu explico perfeitamente o porquê dessa música ser um erro. Gaste cinco minutos do seu tempo e aprenda”, concluiu ela.

Leia mais