CHANEL

Ju Tedesco conta experiência ao comprar em loja de luxo: “É outro mundo”

Foto de Ju Tedesco nas redes sociais
Ju Tedesco relatou como é comprar uma bolsa em loja de luxo (foto: Reprodução/Redes Sociais)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Ju Tedesco comprou recentemente uma bolsa na Chanel e os seguidores ficaram bem curiosos em como é a experiência de comprar nesse tipo de loja de luxo. A influenciadora contou a história que fez com que ela chegasse até o acessório e ainda explicou como funciona o atendimento.

“Vamos contar a tour da bolsa. Eu fui semana passada com as meninas na loja e a gente estava olhando. Eu me apaixonei pela bolsa. Muito linda só que custava todos os órgãos do meu corpo e ela era azul, mas eu queria uma bolsa preta. Na semana anterior eu tinha ido na loja e tinha visto uma bolsa preta, mas eu não tinha me apaixonado e eu só compraria, obviamente, se meu coração saísse pela boca”, começou ela.

A criadora de conteúdo relatou que a irmã dela tinha ido na loja recentemente e tinha mostrado uma outra bolsa, mas que não tinha chamado a atenção dela. “A Jéssica foi na loja quando veio em São Paulo e me mandou a foto de uma bolsa preta. Eu fui na loja de novo e me apaixonei por uma bolsa, mas eu não tinha saído com o cartão. Me apaixonei por ela virar pochete e são cinquenta bolsas em uma”, contou.

“A vendedora foi ver se a bolsa não estava vendida, não estava e me disse que eu tinha dez horas para escolher se eu queria levar ou não e comprar. Comecei a pensar qual cartão iria passar a compra. Comprar nessas lojas os vendedores estão acostumados com outro público e para eles é: ‘gostou? Quer levar?’ e não é assim. Eles lidam com outro público”, disse.

Apesar das perguntas sobre valores, Ju Tedesco preferiu não expor para não receber mensagens de ódio. “Eu sou curiosa com preço, mas eu não vou ter saco de contar o valor dessa bolsa. A Chanel tem um mínimo do quanto custa. É uma das marcas que mais se valorizam e daqui uns anos essa bolsa pode estar custando três vezes mais. As bolsas tem um número de série”, concluiu.

Leia mais