AUDIÊNCIA EM QUEDA LIVRE

MasterChef Brasil perde 67% de público e fecha com pior ibope da história

Isabella Scherer foi a campeã da 8ª edição do MasterChef Brasil
Isabella Scherer venceu a oitava edição do MasterChef Brasil (foto: Carlos Reinis/Band)

Fenômeno comercial e digital, o MasterChef não conseguiu converter seu engajamento nas redes sociais para audiência na televisão. A oitava edição da versão clássico da competição gastronômica da Band foi responsável pela pior audiência da história da franquia britânica no país. Um estudo obtido em primeira mão pelo TV Pop aponta que o programa apresentado por Ana Paula Padrão acumulou média de 2,32 pontos na Grande São Paulo em seus 24 episódios. Isso significa uma fuga de 67% do público em relação ao ano de 2015, em que a atração teve o seu melhor desempenho.

A queda de audiência é um reflexo direto do desgaste do formato. Desde a sua chegada ao Brasil, em setembro de 2014, 13 edições do programa foram produzidas pela Band: a versão que mais foi ao ar foi a clássica, que consiste na disputa entre cozinheiros amadores, com oito edições em apenas sete anos. Na sequência, a emissora produziu três temporadas com cozinheiros profissionais (e chegou a reapresentar uma delas no ano passado). Por fim, houve uma edição com crianças e uma revanche promovida entre antigos participantes da franquia.

De acordo com os dados consolidados da principal metrópole do país, o MasterChef empilhou uma sequência de recordes negativos em 2021. A competição culinária teve o episódio menos visto de sua história, com média de apenas 1,7 ponto em seu penúltimo episódio, transmitido na noite de 7 de dezembro. O desfecho do reality, que terminou com a vitória de Isabella Scherer, também foi o menos assistido da história do programa — os dados prévios apontam que a final da temporada marcou 2,8 pontos, um décimo abaixo do melhor índice da edição, obtido em 7 de setembro.

Em uma tentativa de voltar aos números de outrora, a Band irá reformular o formato e transformará o reality culinário em um programa diário, seguindo o mesmo modelo que vem tendo sucesso na Argentina desde o ano passado. De acordo com Henrique Fogaça, que atua como um dos jurados da atração desde a sua estreia, as gravações da primeira temporada diária vão começar em abril de 2022 e devem durar cerca de quatro meses. A data de estreia da nova versão ainda não foi definida.

A seguir, confira o estudo obtido pela reportagem sobre a performance do MasterChef Brasil ao decorrer dos anos na Grande São Paulo:

ANO
TEMPORADA
MÉDIA
2021
Amadores 8
2,3
2020
Profissionais 1 (reprise)
2,7
2020
Amadores 7
3,1
2019
A Revanche
3,1
2019
Amadores 6
3,6
2018
Profissionais 3
4,0
2014
Amadores 1
4,5
2018
Amadores 5
4,8
2017
Profissionais 2
4,9
2015
Júnior
5,7
2016
Amadores 3
6,0
2017
Amadores 4
6,1
2016
Profissionais 1
6,8
2015
Amadores 2
7,2

Leia mais