MAIS UMA BAIXA

Celso Freitas é afastado às pressas da apresentação do Jornal da Record

Celso Freitas no estúdio do Jornal da Record
Celso Freitas em sua última aparição no Jornal da Record, em 3 de janeiro (foto: Reprodução/Record)

Quatro meses depois de voltar ao comando do Jornal da Record, Celso Freitas foi novamente afastado da apresentação do telejornal. Depois de trabalhar normalmente na semana do Ano Novo e na segunda-feira (3), o veterano foi diagnosticado com uma infecção respiratória e acabou sendo tirado do ar por tempo indeterminado. Ele está sendo substituído por Luiz Fara Monteiro, titular do Repórter Record Investigação, desde a edição de terça-feira (4) — o também correspondente em Brasília já havia comandado o telejornal entre novembro de 2020 e agosto de 2021.

O afastamento de Freitas é mais uma comprovação de que a Record está enfrentando o seu terceiro surto de coronavírus. Com dificuldades de instituir um protocolo rígido de biossegurança para os seus funcionários, a emissora se tornou um dos maiores focos da doença na Grande São Paulo. Nas últimas semanas, desde que os colaboradores retomaram a rotina habitual após os plantões de Natal e Réveillon, cerca de 80 pessoas já foram mandadas para casa pelo departamento médico — 30 apenas no departamento de Jornalismo, mais afetado pela nova onda de contaminações.

A reportagem do TV Pop apurou que o novo surto da doença pode ter sido agravado por irresponsabilidade da própria emissora. No mês passado, o canal decidiu voltar ao formato habitual de registrar o ponto de seus funcionários, utilizando o cadastro por digital — que no auge da crise sanitária havia sido trocado por um sistema de aproximação que usava o crachá dos contratados. O canal até disponibilizou um dispenser com álcool em gel ao lado da máquina, mas eram poucos os funcionários que realmente higienizavam as mãos ao sair e entrar das instalações da empresa.

Além de Celso Freitas, outros profissionais de vídeo também foram afastados nos últimos dias com diagnósticos positivos para o vírus. São os casos de Mariana Godoy, tirada do Fala Brasil após testar positivo para a doença pela segunda vez, e de Fabíola Reipert e Renato Lombardi, que haviam passado a virada do ano juntos. E a tendência aponta para mais baixas nos próximos dias: o caos na Record chegou ao ponto de sequer há um número de testes disponíveis que comporte o número de funcionários que seguem dando expediente presencial na emissora.

Leia mais