Record proíbe jornalistas de publicarem fotos usando roupas de banho

Mariana Martins e Gilberto Ribeiro foram demitidos pela Record após publicação de fotos com roupa de banho (foto: Reprodução/Record)
Mariana Martins e Gilberto Ribeiro foram demitidos pela Record após publicação de fotos com roupa de banho (foto: Reprodução/Record)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Mariana Martins e Gilberto Ribeiro viraram os expoentes da mais nova determinação da Record. A emissora decidiu proibir que seus jornalistas publiquem fotos usando roupas de banho, como sungas e biquínis, em suas redes sociais. Para a cúpula da rede, as páginas de seus funcionários na internet devem ser uma espécie de vitrine do trabalho que eles desenvolvem na televisão. Além disso, os executivos decidiram abraçar a teoria conspiratória de que alguns de seus apresentadores estariam se expondo na web justamente com o intuito de ganhar mais dinheiro e, assim, não precisar mais da televisão.

Até então, não havia uma ordem formal para que os jornalistas não se expusessem nas redes sociais. A emissora, no entanto, sempre deu a entender que não via com bons olhos a troca dos blazers e dos tailleurs pela exibição do físico sarado de alguns de seus contratados. Não era raro que apresentadores fossem abordados e orientados de que aquele tipo de publicação não condizia com os princípios da rede, que é mantida pela Igreja Universal.

TV Pop apurou que a Record pediu para que os âncoras adotem o modelo praticado pelas páginas oficiais de dois apresentadores, que já atuam em programas transmitidos em rede nacional. Para a diretoria do canal, Geraldo Luís e Luiz Bacci são cases exemplares de como usar a internet. O primeiro nome alterna cliques de sua vida pessoal com incontáveis chamadas de seus programas, enquanto o segundo transformou o seu perfil em uma versão estendida do Cidade Alerta. Das 30 últimas publicações feitas por ele, 19 são de mortos e/ou casos abordados pelo programa.

Nos bastidores, o novo contrato assinado por Reinaldo Gottino é visto como uma mordaça disfarçada. Ao assumir o gerenciamento de carreira de seus apresentadores, a rede passa a ter autonomia sobre os conteúdos publicados por eles nas redes sociais, e poderá inclusive comercializar espaços nos perfis de cada um deles. Ou seja: a intenção da nova Record Entretenimento é, basicamente, monitorar de perto e ter total autonomia com os apresentadores da TV.

Record se incomodou com fotos de Mariana Martins e Gilberto Ribeiro com roupas de banho (foto: Reprodução/Redes Sociais)
Record se incomodou com fotos de Mariana Martins e Gilberto Ribeiro com roupas de banho (foto: Reprodução/Redes Sociais)

Relembre os casos de demissão

A primeira dispensa provocada pela exposição de momentos de descontração na internet foi a de Gilberto Ribeiro. Ele foi apresentador do Balanço Geral em Curitiba durante 11 anos, e foi demitido pela emissora após ter usado o seu perfil em uma rede social para compartilhar fotos de sunga. O tamanho de seu órgão genital assustou os internautas, que o transformaram em meme. A cúpula da rede não gostou, e logo demitiu o jornalista, que também é deputado estadual. Atualmente, ele trabalha no SBT e comanda a edição regional do Primeiro Impacto — e o Balanço Geral, que já passou por duas trocas de comando, nunca mais voltou a ocupar a vice-liderança.

Mariana Martins, que trabalhava na Record de Goiás, se tornou a mais nova expoente da política de tolerância zero adotada pela rede. Jornalista experiente, com passagens por afiliadas da Globo, ela foi demitida após bater de frente com seus gestores por acreditar que o conteúdo de suas redes sociais não interferiria na sua credibilidade. De acordo com ela, os executivos da rede expuseram fotos suas de biquíni em um telão, a acusaram de sensualizar enquanto comandava o Balanço Geral Manhã e também coagiram outra apresentadora a apagar fotos de maiô.

Leia mais