Para cortar custos, Globo faz jornalistas usarem mesma blusa por 17 dias

Lívia Laranjeira foi uma das convocadas para a cobertura no canal de notícias da Globo: mesma blusa por 17 dias (foto: Reprodução/GloboNews)
Lívia Laranjeira foi uma das convocadas para a cobertura no canal de notícias da Globo: mesma blusa por 17 dias (foto: Reprodução/GloboNews)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A contenção de custos promovida pelas empresas da Globo tem rendido situações bastante inusitadas. A medida mais recente para baratear os custos operacionais envolve os uniformes dos profissionais do setor esportivo que foram deslocados para a GloboNews durante os Jogos Olímpicos de Tóquio. Diferentemente dos convocados para atuar em estúdio na cobertura da TV Globo e do SporTV, os jornalistas remanejados para o canal de notícias não receberam o uniforme completo para o evento e ganharam só uma blusa de manga longa, que deverá ser reutilizada sem parar durante toda a competição, que começou em 23 de julho e termina em 7 de agosto — ou seja, por 17 dias seguidos.

É claro que existem máquinas criadas para lavar e secar roupas. Mas a contenção de gastos já tem dado dores de cabeça para os quatro âncoras dos blocos olímpicos dos jornalísticos da GloboNews, principalmente para a dupla escalada para atuar nos estúdios de São Paulo. Com as baixas temperaturas na capital paulistana, é praticamente inviável lavar o uniforme diariamente — e uma máquina de secar roupas não é um utensílio lá muito comum nas casas do país. O resultado? Os jornalistas tem tratado a blusa da cobertura como uma criança recém-nascida.

TV Pop apurou que, temerosos, os âncoras do canal de notícias sequer tem vestido o uniforme quando não estão no ar. Em uma Redação de Jornalismo, não é raro que as pessoas acabem se sujando quando vão tomar café, ou até mesmo com uma caneta que não esteja regulada corretamente. Por isso, os riscos da blusa acabar sendo danificada tem tirado o sono do quarteto, já que a direção foi categórica ao dizer que não haveriam peças substitutas, e que a responsabilidade de manter o vestuário impecável era de cada um dos profissionais, e não da emissora.

Com o aviso dos executivos, os apresentadores escolheram viver uma maratona entre Redação-camarim-estúdio e vice-versa quando estão entrando ou saindo do ar. Quando não estão dentro do ambiente controlado e com risco praticamente nulo de sujar o uniforme, todos eles tem usado roupas neutras e guardado a blusa da emissora dentro de um saco plástico. Nos bastidores, alguns dos jornalistas até tem confidenciado para colegas de trabalho ter medo de lavar seus uniformes e correr o risco da peça ser encolhida ou danificada pela máquina de lavar.

Os profissionais convocados para a cobertura olímpica nos estúdios do SporTV e da TV Globo ganharam um uniforme bem mais completo: além de diversos modelos de blusas, o kit também contemplava uma calça e um tênis, para que todos os envolvidos estivessem padronizados durante as transmissões. Na GloboNews, não houve nem mesmo o cuidado de exigir dos funcionários que utilizassem peças com a mesma cor. Enquanto no canal esportivo e na emissora aberta há o uso de calça bege, quem está dando expediente no canal de notícias usa o que bem entender — normalmente, calças pretas ou jeans, que nada tem a ver com o uniforme dos Jogos Olímpicos.

Leia mais