Nova temporada de iCarly não sabe se quer agradar adultos ou crianças

Nova temporada de iCarly não sabe qual é o seu público alvo (foto: Divulgação/Paramount)
Nova temporada de iCarly não sabe qual é o seu público alvo (foto: Divulgação/Paramount)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Atenção, membros da nação! Finalmente estreou no Paramount+ brasileiro a tão aguardada volta de iCarly, com 13 episódios encomendados e uma segunda temporada já garantida. Do ciclo original do seriado, apenas três atores do elenco principal retornaram, mas haverão várias participações de personagens recorrentes ao decorrer dos novos episódios. O streaming postará um episódio por semana e deu a garantia que os dubladores originais voltarão.

Como antecipei, do elenco inicial temos apenas os intérpretes de Carly, Freddie e Spencer. Jannette McCurdy, que deu vida para a icônica Sam, abandonou sua carreira de atriz por traumas que a série provocou em sua adolescência, então dela só teremos citações por nome (algo parecido com o que acontece Fuller House em citações sobre as irmãs Olsen). O retorno de Noah Munck, que fez o Gibby na versão original, ainda não está confirmado.

Para suprir as ausências, foram inseridos ao trio Harper, a “melhor amiga desde a Sam” da protagonista, fashionista e pansexual; e Millicent, a filha adotiva de Freddie, de seu segundo casamento. A inserção destas personagens não foi feita para substituir os seus antecessores, e sim para mostrar que os veteranos amadureceram, e a série também trata temas que num canal infantil não seria bem visto pela Parents Television Council (sim, existe uma associação de pais que repudia praticamente tudo).

Apesar disso, o retorno de iCarly não sabe se quer falar com adultos ou crianças. Os episódios insistem em mostrar que o elenco é adulto, com utilização de bebidas alcoólicas e alguns palavrões, mas o humor da série parece que não evoluiu junto e continuou infantilizado como o dos episódios originais. O meio termo é preciso, afinal, era um show infantil, e agora se baseia na nostalgia para conseguir audiência novamente, mas parece totalmente descompensado.

O efeito nostalgia pode ser notado facilmente, pois apenas acompanhamos os personagens e poucas informações foram dadas entre o fim da série original e a atual. Com a evolução da internet e o consequente boom dos digital influencer, o programa iCarly sequer é mostrado. Sabemos que a protagonista está trabalhando no webshow, mas a atração sequer aparece de forma explícita depois do primeiro episódio. Freddie também é outra incógnita: pelo que a trama nos mostra, parece que ele não tem um emprego e vive vagando pelas casas de Carly e Spencer.

De qualquer forma, não deixa de ser um projeto ousado da Paramount+. O Disney+, por exemplo, tinha anunciado a volta de Lizzie McGuire, mas o projeto foi cancelado (após dois episódios gravados) pois a empresa queria que a série seguisse a mesma linha de humor infantil, enquanto a protagonista e a criadora queriam algo mais adulto, afinal, os personagens estão adultos! Se os conteúdos da volta de iCarly forem ajustados, ainda resta esperança para o seriado.

Mateus Ribeiro é engenheiro por formação, e nas horas vagas se diverte maratonando séries e assistindo programas de origem duvidosa da televisão brasileira. No TV Pop, escreve semanalmente sobre as séries produzidas pela indústria norte-americana. Converse com ele pelo Twitter @omateusribeiro. Leia aqui o histórico do colunista no site.

Leia mais