Retorno do Vídeo Show é visto com bons olhos pelos executivos da Globo

Miguel Falabella na derradeira edição do Vídeo Show, em 11 de janeiro de 2019 (foto: Reprodução/TV Globo)
Miguel Falabella na derradeira edição do Vídeo Show, em 11 de janeiro de 2019 (foto: Reprodução/TV Globo)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O retorno do Vídeo Show voltou a ganhar força nos bastidores da Globo. Cancelado há quase três anos pelos baixos índices de audiência, a revista eletrônica nunca foi completamente esquecida pelos executivos da emissora. Com as diversas modificações promovidas na programação neste ano e já previstas para o início de 2022, a cúpula da rede voltou a acreditar na força da marca da atração, que ficou no ar durante 36 anos ininterruptos. A diretoria do canal vê potencial para que o projeto possa servir como ponte para reaproximar os telespectadores dos bastidores da rede, que está retomando sua capacidade total de produção após a interrupção forçada pela crise sanitária.

A informação foi divulgada em primeira mão pela jornalista Patrícia Kogut, de O Globo. De acordo com a jornalista, há nos bastidores uma corrente cada vez mais forte pelo retorno da atração, que não deverá voltar apenas como um programa da TV Globo. Se o retorno realmente se concretizar, o formato também ganhará uma janela de exibição no Multishow, que tem se firmado como uma vitrine dos produtos da líder de audiência para o público jovem.

A última edição do Vídeo Show foi transmitida em 11 de janeiro de 2019. O cancelamento do tradicional programa foi anunciado apenas três dias antes, em 8 de janeiro, e acabou inviabilizando uma despedida elaborada. Em seu último dia no ar, a revista eletrônica foi praticamente normal, exibindo apenas mensagens emocionadas dos telespectadores e uma rápida reportagem sinalizando que a atração acabaria ali. Na ocasião, Sophia Abrahão e Joaquim Lopes eram os titulares do formato — que havia virado freguês de A Hora da Venenosa, da Record.

De lá pra cá, não foram poucas as tentativas da Globo para tirar público do quadro de fofocas de Fabíola Reipert. Só que todas elas deram errado: os filmes da Sessão da Tarde também não fizeram frente ao Balanço Geral, assim como o Se Joga, que sequer teve oportunidade de se despedir da grade diária da emissora. O Plantão BBB, criado como um laboratório para um novo programa de entretenimento no horário, também sofreu com o veneno da rival.

A Globo só conseguiu retomar a liderança da faixa horária com a versão estendida do Jornal Hoje. O jornalístico de Maju Coutinho passou a durar quase duas horas, sob o pretexto de intensificar a cobertura da crise sanitária. Mas a solução já está com os dias contados: a equipe do jornalístico tem se queixado da escassez de conteúdos para ocupar um espaço tão grande, e a própria apresentadora já desabafou publicamente sobre a duração excessiva do telejornal.

Leia mais