Record usa o feriadão para testar Balanço Geral Manhã sem Geraldo Luís

Geraldo Luís não apresentará o Balanço Geral Manhã durante o feriado (foto: Reprodução/Record)
Geraldo Luís não apresentará o Balanço Geral Manhã durante o feriado (foto: Reprodução/Record)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Em eterna insatisfação com a equipe do Balanço Geral Manhã, a qual faz questão de reclamar todos os dias ao vivo, Geraldo Luís acabou sendo presenteado pela diretoria da Record com uma folga no feriadão da independência. Ele não apresentou o telejornal matinal nesta segunda-feira (6) e permanecerá fora do ar na terça-feira (7), voltando ao trabalho apenas na quarta-feira (8). Poderia ser apenas uma folga normal, mas um detalhe chamou a atenção entre os profissionais que atuam no jornalístico: o apresentador não foi substituído por ninguém, como aconteceria em uma situação normal, e o noticioso foi comandado por apenas uma pessoa.

Habitualmente, o Balanço Geral Manhã é dividido em três partes. Na primeira delas, que tem a única função de tirar a emissora do limbo deixado pela programação religiosa, o telejornal é comandado por Bruno Peruka e funciona de maneira mais noticiosa, com exibição de reportagens quase que em sequência, com poucas análises e comentários. Depois, das 6h às 8h30, surgem as duas edições apresentadas por Geraldo Luís. Nelas, o telejornal tem uma linha editorial mais popularesca, com brincadeiras e extensas falas do âncora e de um comentarista de segurança pública.

Na ausência de Geraldo, o jornalístico adotou um formato uniforme desde a sua primeira no ar. Diante da temporada de Bruno Peruka na apresentação do Cidade Alerta, a emissora acabou escalando Wésllen Tecchio para comandar as três edições do noticioso. E, diferentemente do que acontece normalmente, as três edições tiveram a mesma forma: elas focaram em reportagens intercaladas por breves análises, além de uma aposta maior em conteúdos ao vivo, deixando em segundo plano as extensas matérias gravadas com antecedência.

Para a equipe do matinal da Record, a movimentação do feriado é um teste para que o telejornal volte a ter apenas um âncora. Além de reduzir os custos da produção, a modificação também acabaria com as quebras de público que acontecem nas transições dos âncoras — não é raro que Bruno Peruka encerre sua participação na casa dos 2 pontos de audiência na Grande São Paulo e que a audiência caia para a faixa dos décimos após Geraldo Luís entrar no ar.

Nos bastidores da emissora, a maioria dos profissionais se queixam da dificuldade de manter no ar um telejornal tão extenso e com perfis tão diferentes. Diante dos colegas do “chão de fábrica”, Peruka é visto como humilde e avaliado como um funcionário dedicado, que veste a camisa da empresa independentemente das incontáveis mudanças feitas em sua jornada de trabalho nos últimos anos. Geraldo, por sua vez, já tem fama de ingrato entre a equipe do Balanço Geral Manhã: não é raro que ele sequer dê bom dia aos colegas e que sua primeira fala no dia seja uma reclamação.

Leia mais