PRESTAÇÃO DE SERVIÇO

Globo muda grade para cobrir tragédia em Petrópolis e bate recorde de audiência

Imagem com foto dos apresentadores da Globo no Rio de Janeiro
Mariana Gross, Flávio Fachel, Silvana Ramiro e Priscila Chagas no estúdio dos telejornais locais da Globo no Rio de Janeiro; emissora bateu recorde com cobertura da tragédia em Petrópolis (foto: Globo/Reprodução)

A Globo mudou sua programação no Rio nesta quarta-feira (16) para a cobertura da tragédia das chuvas em Petrópolis, na região serrana do estado do Rio de Janeiro, que provocou a morte de pelo menos 105 pessoas e o desaparecimento de outras 134. Por causa das fortes chuvas, a cidade histórica ficou em estado de calamidade pública. Com a mudança na grade local, a emissora carioca anotou a melhor audiência desde agosto de 2021, quando aconteciam os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Com a transmissão dos jornalísticos, a Globo registrou 14 pontos de média e 47% de participação (share) na faixa da manhã, de 6h00 ao meio-dia, na região metropolitana do Rio de Janeiro. O canal também bateu recorde de audiência às quartas-feiras desde maio de 2021, quando transmitiu a cobertura da morte do humorista Paulo Gustavo. A rede teve um crescimento de +3 pontos (+27%) de audiência no comparativo com as quatro quartas-feiras das semanas anteriores. As informações foram divulgadas pelo site NaTelinha, do UOL.

Os resultados de audiência da Globo no Rio de Janeiro foram puxados pelas transmissões do Bom Dia RJ e Bom dia Brasil nesta quarta-feira (16). Na sequência, a emissora carioca mudou sua grade de programação local e não exibiu os programas Mais Você e Encontro com Fátima Bernardes. A transmissão do jornalismo local ficou no ar das 9h30 até às 13h25, quando entrou no ar a edição do Jornal Hoje. O Globo Esporte também não foi exibido para o Rio de Janeiro. Além das equipes de reportagem da Globo e GloboNews, os apresentadores Ana Luiza Guimarães, do RJ2, Flavio Fachel do Bom Dia RJ, e Mariana Gross, do RJ1, estão na cidade para comandar os telejornais. Aline Midlej também esteve em Petrópolis para comandar o Jornal das Dez na TV por assinatura.

Globo sai em defesa de Aline Midlej após notícias falsas nas redes sociais

Nos últimos dias, uma série de boatos circularam nas redes sociais envolvendo a jornalista Aline Midlej e uma suposta declaração negacionista sobre a crise sanitária — a notícia falsa aponta que a plantonista do Jornal Nacional e titular do Jornal das 10 teria minimizado a eficácia do imunizante da infecção respiratória, dando a entender que o fármaco não serviria para nada. Na corrente, que está circulando em aplicativos de mensagens, ela teria afirmado durante um telejornal que “a pessoa morreu com as três doses, mas se ela não tivesse tomado nenhuma seria pior”.

Incomodada com a repercussão da fake news envolvendo um de seus principais nomes, a Globo decidiu sair em defesa da profissional: a líder de audiência abriu espaço durante o SP1 de sábado (12) para esclarecer que a âncora da GloboNews jamais fez tal comentário nos telejornais do canal de notícias, tampouco na emissora aberta e em seus perfis oficiais nas redes sociais. Além disso, um esclarecimento semelhante também foi publicado no G1, portal de notícias da empresa.

Consultada para falar sobre a suposta frase dita por Aline Midlej, a Central Globo de Comunicação reiterou que a apresentadora jamais disse algo do gênero. “Aline Midlej não mencionou a frase atribuída a ela. A TV Globo nega que tal declaração tenha sido proferida. A declaração não é encontrada em nenhum vídeo da GloboNews e da TV Globo. Uma busca pela íntegra apontada na mensagem falsa em motores de busca não revela resultado que aponte tal conteúdo. Também não é possível encontrar a alegação nas redes sociais verificadas de Midlej”, afirmou a emissora.

Leia mais