TALENT SHOW

Band estreia nona temporada do MasterChef; conheça os participantes

Imagem com foto dos jurados e a apresentadora Ana Paula Padrão no MasterChef Brasil
Os jurados e a apresentadora Ana Paula Padrão no cenário do MasterChef Brasil (foto: Band/Melissa Haidar)

A Band estreia na próxima terça-feira (17), às 22h30, a nona temporada do MasterChef Brasil. Neste ano, o público vai acompanhar a jornada de 16 cozinheiros amadores em busca do tão sonhado troféu, totalmente repaginado. Por causa do Faustão na Band, o programa deixou de ser gravado nas instalações do Grupo Bandeirantes, em São Paulo, e foi transferido para os estúdios Vera Cruz, em São Bernardo do Campo (SP).

“Quando cheguei aqui [nos estúdios Vera Cruz], falei: ‘Tenho 35 anos de TV e nunca gravei em um lugar tão grande’. E alguém me respondeu: ‘É porque não existe! É o maior estúdio da América Latina”, conta a apresentadora Ana Paula Padrão, que comandará os 17 episódios da nova temporada. Além da Band, a partir do dia 20, a atração também será exibida toda sexta-feira, às 19h25, no canal Discovery Home & Health e no discovery+.

“Para brigar pelo grande prêmio deste ano, teremos os mais intensos e aguerridos competidores que já passaram por aqui. Eles foram escolhidos entre milhares de candidatos e sabem cozinhar bem. Mas, além de serem bons com as panelas, são extremamente competitivos. Esta temporada promete ser da disputa e não da amizade”, avisa Marisa Mestiço, diretora da atração culinária.

De todos os cantos do Brasil, os participantes foram selecionados por saberem preparar menus fora da caixinha. A faixa etária varia entre 23 e 51 anos. As provas já consagradas, como o Leilão MasterChef e o Desafio do Muro, onde cada dupla deverá preparar versões idênticas sem ver o que o outro está fazendo, estão garantidas. Muitos chefs nacionais e internacionais serão convidados para trazer suas criações, dividir conhecimentos e instigar os cozinheiros com pratos originais e provocativos.

“Sou muito verdadeiro nas minhas avaliações, então o público pode esperar o mesmo Fogaça, mas com a régua um pouquinho mais alta, já que a cada ano que passa precisamos evoluir e cobrar um pouco mais. É muito importante que o vencedor faça por merecer. Para isso, minha dica é que cada participante preste muita atenção nas nossas críticas construtivas, além de dar o melhor de si. É preciso cozinhar com o coração e com amor porque só assim não existirá fronteiras para chegar à final”, explica Henrique Fogaça.

A culinária brasileira e regional vai ser elevada ao nível máximo, explorando tudo o que há de mais incrível na mesa dos brasileiros, incluindo grandes clássicos, que fazem qualquer profissional tremer na base. Erick Jacquin, porém, já avisa que não quer repetições. “Estou de ‘saco cheio’ de ver arroz todos os dias. Não estou aqui para mostrar para o Brasil o que é arroz, isso todo mundo já sabe. Quero comer bem, com inovação, criatividade, mas ao mesmo tempo com muita simplicidade. Para vencer o MasterChef, tem que ser mais simples do que as pessoas imaginam. Os cozinheiros complicam suas próprias vidas quando decidem inventar e acabam fazendo tudo errado”, alerta o chef francês.

Com o fim das restrições sanitárias, as grandiosas externas também estarão de volta. Serão desafios em equipe que vão obrigar os competidores a colocar a mão na massa fora de um ambiente controlado. As temidas receitas de confeitaria e as mais diversas temáticas vão testar os conhecimentos de cada um, desde um bolovo com a gema mole até um bolo de rolo com diversas camadas.

Em sua segunda temporada no MasterChef, Helena Rizzo se diz preparada para o novo desafio. “Não sou uma pessoa que dá bronca. Não gosto desse tom e as minhas cozinhas não funcionam assim. Se for para fazer uma crítica, é melhor tentar construir alguma coisa a partir disso. Claro que depende muito das pessoas também. Toda ação tem uma reação e vice-versa, mas acho que empatia é fundamental. Saber que existe uma história ali por trás e uma intenção, afinal, ninguém é perfeito. As pessoas erram e acertam, possuem suas debilidades, assim como eu e todo mundo. Então, esse olhar mais profundo é muito importante”, opina a jurada.

Na nona temporada do MasterChef Brasil, além do troféu, grande símbolo do melhor cozinheiro amador do país, o vencedor vai levar para casa o valor de R$ 300 mil e outros prêmios oferecidos pelos patrocinadores. Para Ana Paula Padrão, cozinhar bem não será o único requisito importante na disputa. “Os aspirantes a chefs precisam aprender a jogar, assistir às edições anteriores – principalmente as primeiras – e entender que inocência demais também não leva para a final. Tem que dominar o fogão, mas é necessário saber que está em um game show e não só em um concurso de gastronomia. Ele irá competir com pessoas que podem ser mais ‘malandras’, então é preciso que se posicione no jogo”, conclui a apresentadora.

Conheça os 16 participantes da nona temporada do MasterChef Brasil

Adílio – 29 anos
Missionário/Pirenópolis (GO)

Imagem com foto do participante Adílio
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Nasceu em Minas Gerais, onde aprendeu a cozinhar com sua avó no fogão a lenha ainda criança. Suas tias e mãe tiveram um restaurante onde despertou sua paixão pela gastronomia. Atualmente, mora no interior de Goiás. Seu jeito comunicativo e alegre fez com que virasse gestor em uma ONG que faz trabalhos sociais em mais de 160 países.

Bruno – 34 anos
Dentista/Barroso (MG)

Imagem com foto do participante Bruno
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Após se recuperar de um linfoma, o cirurgião dentista decidiu buscar tudo o que quis na vida e sempre deixou para depois. Foi assim que ele trocou o jaleco pelo avental e o consultório pela cozinha mais famosa do mundo. Seu detalhismo, seriedade e pragmatismo são suas apostas para levá-lo a erguer o troféu.

Daniel – 41 anos
Vendedor/Paulínia (SP)

Imagem com foto do participante Daniel
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Começou a cozinhar ainda garoto, quando precisou ajudar a mãe que estava doente. Na adolescência, acabou se afastando da cozinha e só voltou há dez anos. Do ramo da construção civil em Paulínia (SP), o articulado e divertido vendedor quer provar que a cozinha é seu lugar.

Edleide – 42 anos
Dona de casa/São Luís (MA)

Imagem com foto da participante Edleide
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Uma maranhense divertida e orgulhosa de suas raízes. Cresceu em Barra do Corda, interior do Maranhão, onde aprendeu a cozinhar com sua avó e mãe. Mudou-se para São Luiz e se formou em Jornalismo, mas teve que abandonar a carreira para cuidar da família. Quer testar seus limites na competição, ter seu próprio restaurante e provar para o seu marido que nunca é tarde para se profissionalizar e fazer o que ama.

Fernanda – 29 anos
Engenheira Civil/Uberlândia (MG)

Imagem com foto da participante Fernanda
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Já morou em várias cidades durante a juventude e sempre teve a cozinha como estratégia para unir as pessoas. Líder nata, quer usar a habilidade de sentir a energia das pessoas a seu favor e ganhar a competição de culinária mais disputada do Brasil.

Fernando – 36 anos
Artesão, vendedor de produtos eróticos e tarólogo/São Paulo (SP)

(foto: Band/Renato Pizzutto)

Profissionalmente, é extremamente versátil e quer agregar a gastronomia ao seu repertório. Sua arma será a confeitaria, que é o terror dos outros competidores. Garante que enquanto ficar na competição, irá mudar a cor de seus cabelos todos os dias e ganhar força a cada batalha para levar o título para casa.

Genesca – 40 anos
Esteticista/São Borja (RS)

Imagem com foto da participante Genesca
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Já disse que é estrategista e, sem dúvida, não vai ter medo de colocar suas táticas em prática. Dermopigmentadora e extensionista de cílios, garante que vai trabalhar suas receitas com precisão. Além disso, quer mostrar que é possível começar uma nova história em sua vida, afinal, “os 40 são os novos 20”.

Jason – 40 anos
Empresário/Florianópolis (SC)

Imagem com foto do participante Jason
(foto: Band/Renato Pizzutto)

O “manezinho” da ilha começou a cozinhar escondido de seus pais, ainda na adolescência, mas foi só depois do nascimento da primeira filha que começou a levar a culinária mais a sério. Depois de um grave acidente, resolveu mudar de vida e se dedicar ao que realmente ama. Atualmente, é o cozinheiro oficial da casa e dificilmente repete uma receita. Determinado, obstinado e com personalidade forte, diz que não veio para o MasterChef para fazer amizades e sim para levar o tão sonhado troféu para casa.

Larissa – 24 anos
Veterinária/Belo Horizonte (MG)

Imagem com foto da participante Larissa
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Guerreira, sempre batalhou muito para conquistar seus objetivos. Como médica veterinária, já esteve em várias situações de desastres ambientais ajudando no resgate de animais. Bem conectada nas redes sociais, ama o universo Tolkien (Senhor dos Anéis) e vê no MasterChef a chance de transformar seu hobby em profissão.

Lays – 29 anos
Designer/São Paulo (SP)

Imagem com foto da participante Lays
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Mineira de coração, cresceu em Lambari (MG), onde ensaiou seus primeiros preparos com ajuda de sua avó e da madrinha. Já foi baterista de banda punk, morou na Alemanha e se declara fanática pela cultura oriental. Promete conquistar os jurados com seus truques. Hoje mora em São Paulo e tem orgulho de ter criado sua própria empresa de design.

Mário – 33 anos
Veterinário/Niterói (RJ)

Imagem com foto do participante Mário
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Curte jiu-jitsu, wakeboard, rapel, paraquedas, kitesurf e, agora, vai disputar a maior aventura da sua vida: o MasterChef Brasil. O gosto pela gastronomia começou ainda na infância. Hoje, atua como veterinário e criador de cavalos da raça Quarto de Milha, mas agora quer agregar a função de chef ao seu currículo.

Melina – 29 anos
Estudante de letras/Salvador (BA)

Imagem com foto da participante Melina
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Força e leveza são dois elementos que se equilibram na competidora. É feminista, cheia de personalidade e de opinião formada, mas sem perder a doçura e o brilho no olhar. Fascinada por arte, é estudante de Letras e gosta de escrever contos, crônicas e poesias, além de assistir séries, filmes, desenhar, pintar e fazer cerâmica. Mas, de todas as artes, a que mais ama é o ato de cozinhar.

Mitiko – 38 anos
Dentista/Presidente Prudente (SP)

Imagem com foto da participante Mitiko
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Se algo não a agrada, toma as rédeas, vai lá e faz. Começou a cozinhar ainda pequena, ajudando na alimentação de sua irmã. De família nipo-italiana e mãe de dois meninos, combina o foco e seriedade do povo japonês com o sangue quente italiano. Segura de si e desafiadora, tem bastante jogo de cintura e garante que sua teimosia vai ajudá-la a agarrar o troféu.

Paraskevi – 51 anos
Organizadora de eventos/Thessaloniki (Grécia)

Imagem com foto da participante Paraskevi
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Alegre e criativa, começou a cozinhar ainda muito pequena para ajudar na alimentação dos irmãos. Veio morar no Brasil depois de se apaixonar pelo país em uma viagem de turismo com o marido. Durante a vida, fez de tudo: foi atriz, fotógrafa, escritora, professora de teatro e produtora. No MasterChef, diz que o seu tempero com sabores da Grécia vai conquistar os jurados.

Rafael – 23 anos
Gamer/Rio de Janeiro (RJ)

Imagem com foto do participante Rafael
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Cientista da computação, é bicampeão estadual do torneio de Rainbow Six Siege e é promessa de boas jogadas na cozinha mais famosa do país. Se diz um pouco caótico e caprichoso e, ao mesmo tempo, bem cabeça dura, perfeccionista e uma pessoa que se irrita com facilidade quando as coisas não saem do jeito que ele quer. Sem papas na língua, tem apenas 23 anos, mas muita experiência em derrotar chefões. Jacquin que se cuide!

Renato – 33 anos
Agente de Saneamento Básico/Capitão Poço (PA)

Imagem com foto do participante Renato
(foto: Band/Renato Pizzutto)

Nasceu e cresceu em Capitão Poço, interior do Pará, e aprendeu a cozinhar observando sua avó. De família humilde, começou a testar suas habilidades culinárias por necessidade. Cuida de sua mãe com problemas de saúde e fez da gastronomia uma grande válvula de escape para se sentir esperançoso e transmitir afeto para quem está perto. Depois de tentar entrar na competição cinco vezes, se sente pronto para vencer o talent show.

Leia mais