Escanteado na Record, André Azeredo fala sobre relação com a emissora

André Azeredo foi contratado como grande aposta e foi escanteado na reportagem da Record (foto: Divulgação/Record)
André Azeredo foi contratado como grande aposta e foi escanteado na reportagem da Record (foto: Divulgação/Record)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Contratado pela Record em março de 2019 como grande aposta da emissora para reviver os tempos áureos de seu telejornalismo matinal, André Azeredo caiu tão rápido quanto ascendeu dentro da empresa. Desde a sua passagem meteórica pelo São Paulo no Ar, que durou apenas sete meses, o jornalista ficou sem função e passou a peregrinar pelos demais jornalísticos da rede. Os seus fãs, desavisados, tem o procurado nas redes sociais para saber se saiu do canal ou se foi remanejado para outra cidade. E, nesta segunda-feira (7), ele decidiu falar da sua situação na casa.

“A vida é cíclica. Eu adoro trabalhar. E estou trabalhando. Rodando por vários programas. Trabalhando com várias pessoas diferentes. Não vejo como injustiça, vejo como experiências. A empresa sempre me apoia nos meus projetos. Por que seria injusto?”, desabafou o jornalista, respondendo uma internauta que classificou como uma injustiça a sua saída das edições de sábado do Balanço Geral, que ele comandou entre outubro de 2019 e outubro de 2020.

André Azeredo, de fato, não faz mais parte da equipe de plantonistas do telejornal vespertino. Atualmente, o rodízio das edições de sábado é feito por Celso Zucatelli, Fabíola Gadelha e Matheus Furlan. Desde o final do ano passado, o jornalista só faz parte da escala de substitutos do Balanço Geral Manhã — a última vez em que ele comandou o jornal foi no dia 30 de abril, quando Bruno Peruka ainda era o único titular do jornalístico.

Apesar de querido por seus colegas, Azeredo ainda não conseguiu achar um programa para chamar de seu desde que foi tirado da apresentação do São Paulo no Ar. O jornalista, que trocou uma trajetória ascendente como repórter da Globo para ser âncora da Record, tem apenas sido usado como repórter dos mais diversos telejornais da casa. Nos últimos tempos, ele tem dado expediente na reportagem do Fala Brasil, mas, antes disso, também já fez conteúdos para o Domingo Espetacular e para o Jornal da Record.

Na Globo, o jornalista era visto como um possível substituto para Rodrigo Bocardi no Bom dia São Paulo graças ao seu bom desempenho nas reportagens. Ele, porém, preferiu aceitar a proposta da Record, em sua eterna saga de tentar virar o jogo nas manhãs. Na emissora, especula-se que os seus rendimentos estão na casa dos R$ 70 mil mensais, dez vezes mais do que ele ganhava na líder de audiências.

Leia mais