No Limite não reage nem na final e tem pior média da história do formato

André Marques no desfecho de No Limite 5: pior audiência de uma final (foto: Reprodução/TV Globo)
André Marques no desfecho de No Limite 5: pior audiência de uma final (foto: Reprodução/TV Globo)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A Globo bem que tentou, mas não conseguiu surfar na onda do Big Brother Brasil depois do término da temporada do reality de confinamento. Empolgada com os índices de audiência obtidos pelo confinamento comandado por Tiago Leifert, os executivos da emissora decidiram desengavetar o antigo projeto de dar uma nova chance para No Limite, engavetado há 12 anos justamente pelos números ruins de sua quarta temporada. O retorno da competição de sobrevivência e resistência física deu errado em praticamente todos os sentidos: a repercussão ficou aquém das expectativas e foi a edição menos assistida da história do programa. De positivo, restou apenas o retorno comercial.

Os dados consolidados de audiência na Grande São Paulo apontam que No Limite 5 teve média de 17,4 pontos ao decorrer de seus 11 episódios — o cálculo leva em consideração apenas as edições regulares do formato, exibida nas noites de terça-feira durante a imensa maioria da temporada. É uma queda expressiva em comparação ao auge do programa, que registrou média de 47 pontos em sua primeira edição, e também representa um novo mínimo para o Survivor tupiniquim. Até então, o ciclo menos assistido foi o produzido em 2009, que acumulou média de 19 pontos.

O desânimo com o formato foi tão grande ao ponto de muitos telespectadores sequer terem ideia de que a final foi transmitida na noite desta terça-feira (20). Nas redes sociais, não foram poucos os que disseram ter descoberto que o último episódio estava no ar através de comentários de internautas. A Globo, de fato, parece ter jogado a toalha antes mesmo do fim: a divulgação do desfecho do programa foi quase inexistente. Um pecado para quem, antes da estreia, armou uma grande estratégia em torno da divulgação dos ex-participantes do BBB que estariam na atração.

Muito por conta do descaso da emissora, não é difícil imaginar que a final tenha obtido resultados ruins. No Limite 5 não conseguiu frear a perda de interesse do público pela dinâmica do programa e, consequentemente, não estancou a tendência de queda observada desde a primeira edição do reality. O formato parece já ter desenvolvido um padrão: a cada novo desfecho, um novo mínimo histórico é registrado. A seguir, confira a comparação das finais do reality:

TEMPORADA
AUDIÊNCIA
1 (10/09/2000)
50
2 (25/03/2001)
41
3 (23/12/2001)
37
4 (27/09/2009)
16,6
5 (20/07/2020)
16,3

Mesmo com o desinteresse dos telespectadores, o faturamento de No Limite já praticamente garantiu uma sexta edição do programa no próximo ano. O formato voltará a reunir anônimos e chegou a ter inscrições abertas durante um breve momento, graças a uma parceria da Globo com o banco digital que patrocinou o atual ciclo da competição. Antes mesmo da estreia, a quinta edição do reality já havia rendido mais de R$ 100 milhões aos cofres da emissora.

Leia mais