“FOI UMA ESCOLA”

Rafa Kalimann fala pela primeira vez sobre o fracasso do Casa Kalimann

Rafa Kalimann evitava falar sobre fracasso de seu programa no Globoplay (foto: Reprodução)
Rafa Kalimann evitava falar sobre fracasso de seu programa no Globoplay (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Depois de meses evitando falar publicamente sobre o término precoce do Casa Kalimann, encerrado pela Globo com apenas uma temporada produzida, Rafa Kalimann decidiu abrir o jogo e comentou pela primeira vez sobre o fim do programa. Em um bate-papo com o apresentador Bruno de Luca, a modelo justificou que o formato “foi uma grande escola” e afirmou que não teve muito tempo para preparar uma transformação da linguagem utilizada nas redes sociais para algo mais apropriado para uma emissora de televisão. “Eu sou muito grata ao programa”, desabafou.

“Eu tive pouco tempo para me preparar. Foi uma surpresa muito boa, muito boa mesmo. Foi pouquíssimo tempo para eu me preparar para uma coisa tão diferente do que eu sou habituada a fazer nas redes sociais. E eu estava estudando muito para atuar. Então foi muito de surpresa. Eu acho que foi uma escola que eu vivi ali durante 13 episódios que a gente teve… dificílima”, avaliou a apresentadora.

Na sequência, a comunicadora também afirmou que não se sentiu insegura com o convite feito pela Globo e revelou que Tatá Werneck foi uma das pessoas mais generosas que ela conheceu durante as gravações do programa. “A Tatá conversou muito comigo também. Ela foi muito generosa. Esse foi um dos pontos mais incríveis que a galera que passou por ali foi muito generosa comigo. Todo mundo, principalmente, a galera das mais antigas”, pontuou.

“Eu acho que insegurança não foi o ponto forte ali comigo, até porque eu lidei com isso como uma experiência nova que eu estou vivendo para aprender”, amenizou Rafa Kalimann. “Eu não tenho medo de arriscar experimentar nada. Quero experimentar tudo. Eu quero viver as oportunidades que acontecerem, que aparecerem, porque se eu tiver medo: eu, por exemplo, não viveria o Casa Kalimann, sabe?”, refletiu ela.

“Você não pode falar qualquer asneira, mas foi muito gostoso. Eu, hoje, tenho o presente de poder escolher viver novos desafios, entendeu? Acho que eu estou em um momento da minha carreira que a minha vida na internet está muito legal e que já é um trabalho que eu construí nesses últimos oito anos que eu posso experimentar”, concluiu.

Leia mais