Globo aproveita Olimpíada para testar maratona jornalística na madrugada

Rodrigo Bocardi no Bom Dia São Paulo: telejornal vai para as madrugadas durante os Jogos Olímpicos (foto: Reprodução/TV Globo)
Rodrigo Bocardi no Bom Dia São Paulo: telejornal vai para as madrugadas durante os Jogos Olímpicos (foto: Reprodução/TV Globo)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A Globo aproveitará os Jogos Olímpicos de Tóquio para testar um novo modelo de programação para o próximo ano. Durante o evento esportivo, a emissora modificará boa parte de sua grade para possibilitar a transmissão da maior parte das modalidades do torneio, que será majoritariamente feito entre 22h e 11h. Diferentemente do horário nobre, que só sofrerá modificações após os capítulos de Império, a madrugada e as manhãs da líder de audiência vão estar completamente diferentes entre 23 de julho e 8 de agosto.

A emissora abrirá mão das edições do Conversa com Bial e dos filmes do Corujão durante a maior parte do período olímpico, que terá como prioridade absoluta a programação ao vivo. E, diante disso, os executivos do canal acharam a oportunidade perfeita para testar a tão sonhada criação de uma madrugada jornalística, que está em estudo desde que o Hora 1 foi antecipado para às 4h, em agosto de 2018. Durante o período do evento esportivo, a rede transmitirá quatro telejornais de forma praticamente sequencial.

TV Pop apurou que as afiliadas da Globo foram avisadas na semana passada de que o Bom Dia local entrará no ar por volta das 4h30 durante boa parte da Olimpíada. Antes, às 3h, a rede transmitirá edições mais curtas do Jornal da Globo e do Hora 1 — os dois telejornais de rede não vão ir ao ar todos os dias, ao contrário do noticiário local. Depois, às 6h, será a vez do Bom Dia Brasil, com uma hora de duração. Os eventos esportivos ficarão concentrados em dois grandes blocos, previstos para ir ao ar das 22h30 às 3h e das 7h às 11h.

O Mais Você e o Encontro vão se revezar na programação durante os Jogos Olímpicos. A emissora ainda não decidiu como funcionará o expediente dos dois matinais durante o torneio, mas a tendência é a de que o programa de Ana Maria Braga só vá ao ar em dias sem modalidades de grande expressão na faixa das 9h. O Encontro, por conta de seu formato mais versátil, será mantido na maior parte dos dias e contará com entradas ao vivo de atletas e participações dos profissionais deslocados para a cobertura.

No horário nobre, boa parte das atrações fixas da linha de shows vão ficar em segundo plano. O planejamento é de que programas como Tela Quente, Profissão Repórter, Globo Repórter e Altas Horas tirem “férias” durante o evento e só voltem a fazer parte da programação regular da emissora após o encerramento do torneio, em 9 de agosto.

Para os profissionais do departamento de Jornalismo da Globo, é nítido que a programação das madrugadas é um teste para o próximo ano. A emissora já avisou para suas parceiras que não planeja exibir o Corujão nos dias úteis a partir de 2022, já que o seu banco de filmes sofrerá diversos desfalques nos próximos meses. Diante disso, a solução passa justamente pela retomada de uma madrugada com conteúdos “quentes” e pautada pelo ao vivo. Não será uma surpresa se, no próximo ano, o Jornal da Globo e o Hora 1 sejam separados apenas pelo Conversa com Bial.

Leia mais